Menu

21 de set de 2016

PRA REFLETIR: Intercom e a experiência longe de casa (há mais de uma semana, milhas e milhas distante, do meu amor)


ATENÇÃO: Este é um post compartilhado e cheio de loucuras!
(... e o título é quase um tema de artigo haha)






Sabe quando você nem acredita que vai acontecer determinada coisa, até estar naquela coisa? Acho que foi essa a definição das minhas expectativas para com esse congresso e essa viagem. Diferente da viagem à BH para ver meus homens Linkin Park, em que eu também não estava acreditando, essa parecia que “sei lá, gente”. Confesso, Gabriela teve todos os méritos de fazer essa viagem acontecer. Mas, vamos pular essa coisa de ser adulta, encarar uma viagem de 30 horas, sozinhas e responsáveis no meio da grande São Paulo (coisa que tiramos de letra haha) e vamos para o Intercom que é o grande motivo desse acontecimento.


Qual era nossa experiência em congressos de Comunicação? Uhm... Zero?! Daí a gente sai do mundinho de Comunicação Social do sudoeste da Bahia e vai logo para o Nacional, na Universidade de São Paulo. E ainda para apresentar... artigos? Pressão? Não, magina, nem um pouco.
Foi um literal “dos ‘interior’ para cidade grande acadêmica”. E como se deparar com o diferente sempre traz impressões, aqui vão as minhas:

- A USP é ENORME. Não é à toa que é chamada de Cidade Universitária. Acho que cabe umas duas ou três UESB ali dentro. Até hoje ainda estamos procurando a praça do relógio e o RU.

- A Escola de Comunicação e Artes seria realmente minha área de curso. Jornalismo, Publicidade, Música, Cinema e Teatro... tudo juntinho. Acho que eu ia querer trocar de curso a cada semestre.





- As oficinas foram maravilhosas. Sabe quando a gente vive nesse mundo de comunicação contemporânea, consome conteúdo de Youtubers, ou um mundo de narrativas pop e nem considera que isso é relevante dentro do nosso campo de estudo? Pois lá no Intercom eu senti que a gente pode e deve aproximar essas novas manifestações da nossa área de pesquisa. Afinal elas estão aí mobilizando inúmeras pessoas a consumirem. Amei conhecer as nuances por trás das estratégias dos Youtubers. Amei conhecer e treinar narrativas transmidiáticas. E fiquei no gostinho de mil outras oficinas e minicursos que não deu para assistir;



- E esse povo pelo Brasil à fora é muito criativo. Me senti nadinha perto da história dos clãs subterrâneos do deserto;

- Depois de uma semana ouvindo temas e decupando-os, você sai do evento querendo estudar TUDO. Fazer artigo de TUDO;

- Apresentar um artigo para pessoas que não é da sua habilitação (Publicidade e Propaganda) pode ser amedrontador. Mas quando passa é muito bom;



- Tem muita gente boa e fazendo pesquisas massas pelas escolas de Comunicação;

- Inclusive é totalmente legítimo estudar Inês Brasil, Corrida Naruto e Universo Marvel;

- E por falar nisso, os pokestop na USP são colados um do outro. Mas para parecer disponíveis, você praticamente tem que se agarrar nas esculturas ponto de referência;

- A USP também tem um bambuzal na entrada, só que de árvores mesmo! Hahahahaha

- A USP tem capivaras. Achamos nossa ídola “Capivara do atraso” (Gabi sempre criativa);

- Fillipe Pena é meu ídolo acadêmico. Trinta e oito anos e pós-mestrando <3 (é pós-doutorado mesmo, eu que sou louca);



- E aquele medo de encontrar Walter Benjamim (in memorie), Jorge Pedro e Souza (grandes nomes acadêmicos) pelos corredores e você não conhecer?

- Caco Barcelos é um vacilão e não apareceu na mesa, mas mesmo assim a produção do Profissão Repórter deu conta. Apaixonei no editor;



- E por fim, porém não menos importante... Acho que todo mundo devia ter a chance de poder participar de um Congresso que reúne pessoas de suas áreas. O intercâmbio cultural é a melhor coisa. As pessoas diversas, os sotaques, pontos de vistas, empenhos e determinação... E assuntos que provavelmente você pouco vai ver no mundinho fechado de sua universidade. É ótimo para dar aquele gás que às vezes perdemos na mesmice ou falhas da nossa graduação;
 
E prepara-se INTERCOM, quando eu tiver inteligência aguçada eu quero um trofeuzinho Expocom!



SDDS USP, quero voltar!







Minha vez de contar como foi essa experiência louca de nos perder na USP, mas, já fiquem sabendo que foi bom de mais! Hahaha





Com certeza essa foi uma das experiências mais incríveis que já me aconteceram, e foi incrível não só porque eu estava num lugar diferente, mas era porque tudo ali dependia de mim e desde que a gente decidiu que íamos correr atrás dessa participação, foi uma aventura gigantesca. Pense aí: duas meninas que nem sabiam de nada, embarcando pra a maior cidade da América Latina só pra ouvir um monte de gente discutir sobre os rumos e ramos do jornalismo... Tudo muito louco!





Mesmo assim, aproveitamos um monte! Foi legal poder sair um pouquinho de nossa zona de conforto e pensar sobre aqueles assuntos que a gente nem nunca tinha imaginado que poderia ser problematizado ou com os quais poderíamos nos deparar nesse mundo acadêmico. Estivemos numa das maiores Universidades do mundo pra discutir sobre Comunicação, e foi tudo tão incrível! Além de ter a oportunidade de conhecer algumas pessoinhas (e encontrar outras que já não via há algum tempo), poder discutir e ouvir pessoas falando sobre televisão, internet e tudo o que se pode relacionar ao Jornalismo, nos deu uma certa dimensão de onde estamos nos metendo e da responsabilidade que levaremos com a gente para o resto da vida (medinho), assim como ajudou a perceber nossas maiores habilidades e desejos pós-faculdade (ao menos pra mim).


Eu e migx Girafa do Amor  <3

Falamos sobre literatura e esse cenário com que nos deparamos hoje em dia, sobre programas já consolidados na Tevê e a necessidade de pensarmos sobre eles, sobre novelas, série, Netflix, porque a televisão tem que se dinamizar, ícones dos jovens da nossa geração, educação, filmes e até propagandas. Na hora das apresentações, pensem numa pessoa que ficou tão nervosa que quase deu um trem no meio da USP (aliás, saudades menina USP, te amo!). Outra coisa muito importante nessa experiência de Intercom São Paulo: NEM ACHAMOS O RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO, NEM ACHAREMOS!





De qualquer forma, tudo foi muito bom, chega dar uma saudade nesse nosso coração. A própria organização do evento está de parabéns, afinal, foi graças a eles que nós arranjamos onde comer e descobrimos os becos pra encontrar comida mais barata hahaha

De qualquer forma, só quero dizer também que QUERO VOLTAR LOGO! 





Nenhum comentário :

Postar um comentário

© Não retire os créditos - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Vanessa Neves e Jaque Design | Tecnologia do Blogger .