Menu

16 de ago de 2016

RESENHA: Cidade dos Etéreos


AVISO: VOU CONTINUAR PIRANDO NESSA SÉRIE DURANTE MUITO TEMPO!


Eu nem sei mais como começar as minhas resenhas, porque sempre digo que vou falar de um livro que eu amo. Aff! Mas dessa vez, eu vou apenas continuar o meu surto esquizofrênico por uma das séries literárias novas que tomou conta do meu coraçãozinho de fangirl e não quer mais largar, siiiiim, é sobre O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares que eu tô falando, mais precisamente sobre Cidade dos Etéreos, o segundo volume da série.





Tava com saudades de ler livros que me tirassem da realidade, aí, em meio ao tanto de coisa estressante da faculdade, peguei Cidade dos Etéreos da humilde estante e foi graças a esse livro que eu quase perdi o ônibus para o trabalho durante uma semana inteirinha. Hahaha

Dividido em duas partes, em Cidade dos Etéreos continuamos acompanhando a saga de Jacob, que decidiu permanecer com os peculiares, e seus amigos para tentar derrotar os etéreos e trazer a diretora do orfanato de volta a sua forma humana. Muitos mistérios começam a serem contados e recontados nesse livro, conhecemos novos personagens, como Addison, um cão falante, uma jumirafa (junção de jumento+girafa) bem esperta, Sam, uma garota que consegue se regenerar, uns irmãos cegos, um grupo de ciganos e muitas outras pessoas, além de outra ymbryne, que são as aves que conseguem manipular o tempo e são as responsáveis pelas fendas.




Várias coisas são acrescidas ao universo peculiar, inclusive alguns contos que ganharão uma versão real logo, logo. Descobrimos que na verdade a peculiaridade funciona como uma segunda alma, e que ela pode ser removida, mas com muitas consequências para o antigo peculiar (SPOILER!). Outra coisa bem legal é que deixamos de nos concentrar apenas na fenda de Cairnholm, e viajamos por vários lugares, como Londres, por exemplo. Além disso, os etéreos estão mais perigosos e presentes na história, por isso, podemos perceber o desenvolvimento da peculiaridade de Jake, e é claro, o seu romance com Emma, também.



Com muito mais aventura que o primeiro volume, Cidade dos Etéreos nem deixa a gente respirar de tensão e da torcida que ficamos para que tudo dê certo. Desta vez as fotos dão um pouquinho mais de medo, por que parecem encaixar mais perfeitamente ainda na história em si, e o mais legal disso é que Riggs contou (em um anexo do próprio livro, que foi retirado de uma matéria para um jornal da gringa) que, diferente do primeiro livro, desta vez ele precisou correr atrás de fotos que se encaixassem naquilo que ele descria, e quando isso não acontecia a cena era mudada até parecer o mais próximo possível com a imagem. 




Lembra quando eu disse que dava pra sentir uma pitadinha de romance na série com o casal Emma e Jacob, lá na outra resenha? Pois é, agora não é diferente, e conseguimos perceber o quão envolvidos eles estão, em algumas partes a gente só quer gritar um singelo “SE CASEM LOGO” de tanta fofurinha. Nhom! Mas, continuando sobre os personagens, as próprias crianças peculiares são apresentadas melhor nesse livro, e participam muito mais. Agora a gente pode ter aquele rancinho básico de Enoch, uma simpatia por Bronwyn e seu instinto maternal, e até mesmo se apaixonar por Millard e sua inteligência capaz de salvá-los (não disse nada demais, tá?!). E o melhor: o heroísmo não fica só para o protagonista não!


Mesmo assim, ainda senti falta de algumas outras pessoinhas que a gente conheceu antes, como os gêmeos que se comunicavam por telepatia, na verdade não me lembro o que aconteceu com eles, sou esquecidinha, sorry!

No final do livro podemos conferir uma entrevista com Ransom Riggs sobre o processo de escrita do livro, o filme que estreia em setembro e sobre o próximo volume da série, além de poder conferir o primeiríssimo volume de Biblioteca de Almas, que será lançado agora em agosto pela Intrínseca, que já garantiu uma edição tão linda quanto à de Cidade dos Etéreos (como não se apaixonar por esse livro, afinal?). Em breve prometo ler e continuar pirando aqui com vocês sobre a série, enquanto isso apenas aprecie essa lindeza de livro.



Ah, só um adendo: O ORFANATO DA SENHORITA PEREGRINE CONTINUA SENDO MEU NOVO LIVRO FAVORITO, MAS ESSE TEM UM ESPAÇO TÃO GRANDE QUANTO O OUTRO EM MEU CORAÇÃO! Acabei!






Nenhum comentário :

Postar um comentário

© Não retire os créditos - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Vanessa Neves e Jaque Design | Tecnologia do Blogger .