Menu

12 de jul de 2016

LISTA: Cinco capas bonitas da minha estante

Esse amorzinho aí é Biscoito, o gato! <3
Todo mundo tem aqueles livros favoritos na estante por algum motivo específico, e eu também, mas não posso negar que nem sempre meus livros favoritos têm a melhor capa. É por esse motivo que eu tenho outra categoria quando o assunto são os meus nenéns (aka livros), que é uma capa bonita. Por isso, selecionei as cinco capas que acho mais bonitas em minha coleção para mostrar a vocês. Ah! Vale lembrar que eu sou uma pessoa fortemente influenciada por cores e desenhos, o que me faz comprar livros que nem sempre leio ou gosto. Não me julguem!


Os Contos de Beedle, O Bardo



Sinopse: os contos foram traduzidos das runas originais por Hermione, quando ela o herda de Dumbledore. São cinco histórias diferentes entre si, histórias populares para jovens bruxos e bruxas, contadas há gerações aos filhos. A primeira das histórias, O Bruxo e o Caldeirão Saltitante tem como protagonista o filho de um bruxo muito bom que, após a morte do pai, decide não ajudar os outros como o pai fazia. A Fonte da Sorte mostra a busca de três bruxas e um cavaleiro por uma fonte, cuja água concede boa sorte a todos aqueles que nela se banharem; em seguida, a mais assustadora das narrativas, O Coração Peludo do Mago, sobre um velho bruxo incapaz de amar e uma donzela que em muito lembra as donzelas dos contos de fadas trouxas; a já conhecida O Conto dos Três Irmãos, citada e contada na íntegra e As Relíquias da Morte e Rowling também apresenta as aventuras da esperta Babbity, a Coelha, e seu Toco Gargalhante.

Esse livro veio junto com a minha coleção maravilhosíssima de Harry Potter, e o li há muitos anos atrás, pouco tempo depois de terminar “As Relíquias da Morte”. Além de a capa ser toda cheia de desenhos que dão uma leve ideia de infância e coisas sombrias, a cor dele me chama a atenção cada vez que abro a portinha do guarda roupa. Mesmo pequeninho, cada detalhe torna esse livro mais especial.



Charlotte Street



Sinopse: tudo começa com uma garota... (porque sim, sempra há uma garota...) Jason Priestley acabou de vê-la. Eles partilharam de um momento incrível e rápido de profunda possibilidade, em algum lugar da Charlotte Street. E então, em um piscar de olhos, ela partiu deixando-o, acidentalmente, segurando sua câmera descartável, com o filme de fotos completo... E agora Jason - ex-prodessor, ex-namorado, escritor e herói relutante - se depara com um dilema. Deveria tentar seguir a garota? E se ela for a garota? Mas aquilo significaria utilizar suas únicas pistas, que estão ainda intocáveis em seu poder... É engraçado como as coisas algumas situações se desenrolam... 

Confesso que não consegui chegar até a metade desse livro porque achei a narração muuuito demorada, uma coisa meio chata, sabe? Mas está nos meus planos futuros tentar outra vez encontrar toda a magia que a sinopse diz. Claro que comprei esse livro pela capa, né?! Particularmente gosto um pouco demais da Inglaterra, a cultura, os pontos turísticos, as curiosidades... Então quando vi essa capa com o Big Ben e essas cores super chamativas, não tive outra opção a não ser comprá-lo. Confesso que até me animei em algumas partes, mas não foi bastante para me fazer ter vontade de continuar, sinto muito!


Cartas de Amor aos Mortos



Sinopse: alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos. Tuudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop¿ apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era: encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um, é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Não acho que preciso dizer muito sobre esse livro mais, já que fiz resenha dele há poucas semanas. Mas essa capa, essa capa é muito amorzinho! Essas cores e as estrelas, tudo tão fofo, tudo tão lindo!


O Teorema Katherine



Sinopse: após o mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Tenho uma opinião completamente diferente da maioria das pessoas sobre esse livro, porque nem todo mundo gosta dele, e eu adoro (mais até do que uns do próprio John Green). Sobre essa capa: só digo que essa coisa clean totalmente funcionou comigo e inclusive acho os ícones coloridinhos um charme, principalmente a aparência deles, de terem sido desenhados por uma pessoa e não feitos digitalmente.


A Probabilidade estatística do Amor à Primeira Vista



Sinopse: às vezes a gente tem um clic e percebe que tudo mudou. Por uma coincidência. Uma fatalidade. Ou algo trivial. Nada será como antes. É exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. E quatro minutos podem MESMO mudar tudo... 

QUEM NÃO ACHA ESSA CAPA LINDÍSSIMA? Todos os tons clarinhos, os desenhos, a roupa dos modelos, A SAPATILHA VERMELHA DE LACINHO, tudo é lindo nela! É tanto amor que até mesmo deixamos passar esse detalhe de que o pé do menino está um pouco fora da calça haha. Também já faz um tempo que li essa história, mas pense em um livro fofo e completamente cativante, acho que é por isso que até hoje ainda me lembro de detalhes bem vívidos dele. (Paula também concorda com as minhas impressões sobre essa capa, e falaremos mais sobre isso em breve).


Garanto que tenho mais capas bonitas em minha coleção, e espero poder mostrar todas elas a vocês, assim como espero comprar muito mais livros lindos como estes.








Nenhum comentário :

Postar um comentário

© Não retire os créditos - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Vanessa Neves e Jaque Design | Tecnologia do Blogger .