Menu

30 de nov de 2015

CINE PALAVRAS: A Esperança - O Final

Sim, eu tava tão desorientada que perdi totalmente o foco _|||_


Dia 18 foi um fim. O fim de uma saga à qual sou extremamente apegada. Que eu acompanhei cada trailer e cada estreia. Daquelas que acompanhava spoilers, gravações, atores e surtava, surtava. Sim. Era o fim da parte dois de Jogos Vorazes – A Esperança. 

E lá estávamos Julie (que também é fanzona) e eu na estreia, junto com os “tributos” (tenho minhas agonias com esses nomes, mas ok) prontos para lutar com Katniss contra a Capital. A sofrer com a recuperação de Peeta e vivenciar a guerra. Mesmo numa sessão legendada à noite, teve toda a euforia de fãs assistindo seu vício. Teve aplausos, gritos, choros.

Era o final. As expectativas estavam lá em cima, a ansiedade, nem se fala... Então, não poderia ficar faltando um Cine Palavras com nossas confabulações e o que achamos do filme. Gravamos primeiramente eu e Julie, o que rendeu 30 minutos de vídeo. Mas meu cartão de memória deu bug e o arquivo ficou corrompido. Por causa do tempo, tive que regravar sozinha. Mas calma, que logo após o vídeo, você podem ler os pontos da Julie!

Vamos lá and may the odds be ever in your favor.








Paula Joane


Agora é minha vez de falar aqui já que, como a Paula falou, gravamos um vídeo juntas e o arquivo acabou corrompido pela capital. Não surtei tanto quanto ela na estreia, mas saí de lá arrastada. Concordo com quase tudo o que Paula disse no vídeo, mas tenho alguns pontos que acho importante acrescentar - tanto positivos quanto negativos.

Vou começar falando de uma cena que não existe no livro, mas que acabou sendo uma das minhas favoritas no filme: o adeus de Katniss e Gale. Enquanto no livro ela apenas menciona que Gale foi para o distrito 2, no filme nós realmente temos uma cena de despedida entre os dois, que eu achei fantástica e chega a me doer um pouco - shippo Everllark desde sempre, mas confesso que adorava a amizade de Gale e Katniss, mas enquanto era realmente apenas amizade. Eles passaram anos cuidando um do outro, sobrevivendo juntos. Isso não pode ser tratado como se não fosse nada - por isso, nada mais justo que uma cena de ponto final para eles. Ver Gale, com lágrimas nos olhos, dizendo que não sabia se a bomba que matou Prim havia sido uma das suas, e que ele havia falhado em sua maior missão - proteger a família de Katniss - foi impagável. Ele pode ser um idiota cruel mas, do jeito dele, sempre deu seu melhor para proteger aqueles a quem amava. E falhou. Falhou do pior jeito que poderia falhar, de um jeito que não poderia ser perdoado nunca. Então, quando Katniss simplesmente olha pra ele e diz "Goodbye, Gale", num tom que chegava a ser frio, isso frisa que não há mais volta. Acabou. Algumas coisas não se dá pra consertar. Na hora, achei esse adeus frio mais que merecido e aplaudi, assim como todo mundo na sala. Agora, relembrando a cena, continuo achando merecido, mas me dá uma certa pontinha de dor, pela perda da amizade dos dois. Mas só e apenas pela amizade, e nada mais que a amizade - talvez porque isso seja algo que valorizo muito. Esse foi um dos vários preços que os Jogos Vorazes e a revolução cobraram de Katniss - o menor deles, é verdade, mas ainda assim um preço e, consequentemente, uma marca.

Outro ponto sobre o qual quero falar é a cena da morte de Coin. Paula já falou um pouco dela, mas acho importante acrescentar que, pra mim, o que fez essa cena tão incrível foi o discurso de Coin. Ela fala muita coisa sobre como Katniss tem que usar aquela flecha pra fazer justiça e atirar com o coração... E, logo em seguida, ela é atingida pela flecha. Achei isso tão incrível, tão irônico, tão perfeito, que não podia deixar de mencionar aqui.

Não posso deixar de falar de algo que, assim como a cena de adeus, não acontece no livro, mas achei genial e muito bem-vindo: um beijo entre Haymitch e Effie! Okay, isso foi fanservice pra quem shippava os dois e não viu isso se realizar no livro, mas esse fato não torna a sacada menos genial. Surtei muito nessa hora e ainda não consegui superar hahahaha

Pra terminar, preciso falar do epílogo e aqui, infelizmente, tenho do que reclamar. Concordo com Paula sobre ter faltado aquele quê de que os Jogos nunca serão realmente superados, e aqui entra uma cena da qual senti muita falta: as pessoas retornando ao Distrito 12, recolhendo os corpos e enterrando-os na campina. Isso pode nem ter tido tanto destaque no livro, mas é algo que achei bastante simbólico, especialmente porque a campina onde os corpos foram enterrados é onde Katniss passava pela cerca e ia caçar e, no epílogo, é onde ela e Peeta estão com suas crianças. Isso pra mim tem uma carga emocional muito forte, da qual senti falta. Outro ponto, esse talvez menos importante, é o fato de terem se passado anos e eles não terem mudado quase nada. No livro, se passam 15 anos até que o epílogo aconteça. No filme, o tempo não é explicitado, mas achei Katniss e Peeta com aparência jovem demais, eles podiam ter dado uma envelhecida. Em Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 achei incrível o jeito que a passagem de tempo foi bem marcada e o quanto os atores realmente pareciam velhos, e isso é algo que poderia ter sido feito em Mockinjay também.

Mas enfim, defeitinhos à parte, o filme foi incrível. Me decepcionou em algumas coisas, mas superou minhas expectativas em várias outras. Hunger Games é uma série que me marcou muito, e que vou levar comigo pra sempre. _|||_



Julie Hevellyn







Nenhum comentário :

Postar um comentário

© Não retire os créditos - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Vanessa Neves e Jaque Design | Tecnologia do Blogger .