Menu

14 de set de 2015

CAFÉ COM PALAVRAS: Os vídeos de Bruno

Foto: Divulgação

Hoje em dia está cada vez mais comum ver pessoas compartilhando seus gostos e interesses na Internet, em blogs, fotos, vídeos, etc. E foi graças a Web que surgiram os youtubers, aquelas pessoas que disponibilizam seus vídeos no YouTube, e, consequentemente, os booktubers, ou seja, os youtubers que falam sobre livros. Dentre estes milhares está Bruno Miranda.

Bruno começou na Internet em 2010, quando criou o blog Minha Estante, que tempos depois, transformou-se no canal homônimo no YouTube. Desde que o Minha Estante surgiu, Bruno descobriu a magia dos vídeos e se rendeu a eles. Hoje são três canais, Minha Estante, onde conta um pouco mais sobre suas leituras, Bubarim, em que faz esquetes com bastante humor, e Mais Bubarim, que promete trazer um conteúdo mais leve, tal como os bastidores das outras produções.

E se você pensa que o talento de Bruno fica só na Internet, se enganou. No ano que vem ele lançará o seu primeiro livro, “o enredo ainda não posso falar nada, mas é um romance contemporâneo para jovens”, diz ele.

E aí, quer saber um pouco mais sobre o trabalho de Bruno? Então confira a entrevista do P&P:





Sobre o Minha Estante, você pretende voltar a atualiza-lo com frequência?

Ainda não tenho certeza sobre voltar a atualizar o Minha Estante frequentemente, como tenho o Mais Bubarim, que é um canal com vídeos que não seguem o formato de esquete do Bubarim, pensei em colocar vídeos sobre livros lá também.

E quanto ao Bubarim, como surgem as ideias dos vídeos?

Eu nunca precisei parar para pensar em ideias para o Bubarim, elas surgem e eu vou anotando. É engraçado como mesmo não pensando o tempo inteiro no que eu vou fazer para o canal, se surge algum tema interessante já penso que dá pra fazer um vídeo!





Quanto tempo demora entre escrever roteiro, gravar e editar? Como funciona, mais ou menos, este processo?

Eu tenho uma lista com todas as ideias, tem por volta de 60 anotadas. Toda semana eu escolho qual delas vou desenvolver para escrever o roteiro. Pego a ideia e começou a escrever [...] tudo que eu sei sobre o tema e pesquiso mais algumas coisas na internet. Depois disso monto a história, com tudo que vai acontecer, para então começar a escrever o roteiro. Os roteiros têm mais ou menos cinco páginas e esse processo até aqui vai umas cinco horas. Quando consigo escrever com antecedência, imprimo [...] e começo a fazer anotações para melhorar o roteiro e reescrever.De todo o processo a gravação é o que acaba sendo o mais rápido. Gravamos em quatro horas mais ou menos. Hoje eu tenho uma pessoa que me ajuda, quando era sozinho levava o dobro. A edição é mais umas cinco horas e o vídeo vai para o ar! Assim que eu posto preciso começar a pensar no próximo (...).

Você criou um tumblr onde promete atualizar todos os dias para que ele sirva como um diário de bordo da sua experiência como escritor. Você acha que isso influenciará os leitores? Como?

Eu adoro assistir makingoff de filmes, vídeos e gosto dos bastidores de tudo no geral. Não tenho pretensão nenhum ao mostrar como está sendo o processo, só é uma curiosidade para quem quer escrever também ou quem está escrevendo.

Como é a sua relação com seus fãs? Tem alguma história engraçada?

Uma das primeiras vezes que fui reconhecido estava numa formatura, no meio da muvuca perto do palco quando ouvi alguém gritando o meu nome. Virei para trás para ver se era comigo e era um rapaz que disse que assistia aos meus vídeos. É sempre muito legal quando eu encontro alguém na rua que more aqui perto de mim, porque boa parte do público é de SP e outras partes do Brasil. 





Mudou alguma coisa em sua vida desde que você começou a fazer vídeos para Internet? Quais as vantagens e desvantagens de ser youtuber?

Mudou tudo! Com certeza mudou completamente o meu futuro. Quando eu comecei a escrever blogs, eu percebi que eu gostava bastante de escrever e decidi que queria ser jornalista. Antes disso eu nem fazia ideia do que queria trabalhar. Mas como eu era muito tímido, nunca me imaginei trabalhando na frente das câmeras, então queria trabalhar escrevendo para algum jornal ou revista.Quando comecei o canal me apaixonei por fazer vídeos. Depois que comecei a fazer os vídeos para o Bubarim, com roteiro e tudo, vi que era isso que eu mais amo fazer: escrever roteiros e atuar. Fico imaginando o que eu estaria fazendo agora se nada disso tivesse acontecido.

E se você também quer seguir os mesmos passos, Bruno te dá um conselho:


“Tem que ter muita paciência porque é um processo demorado até as pessoas começarem a achar você. É preciso também estudar todo dia pra entender como funciona tudo que você vai precisar usar, desde câmera até os algoritmos do YouTube. E o principal é amar muito o que você está fazendo, só assim você vai conseguir tirar tempo para fazer tudo isso mesmo antes de ser sua profissão.”


Gabriela Santos





Nenhum comentário :

Postar um comentário

© Não retire os créditos - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Vanessa Neves e Jaque Design | Tecnologia do Blogger .